Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Poesia’ Category

Carta para um anjo

Meu anjo,
Meu sopro de dor não se iguala ao calor
Dos teus braços envoltos em mim
Sendo assim,
Não me canso ao pedir tua eterna presença
Meu anjo do bem, do eterno querer
Complexo ser que me faz entender, tão completa é a vida
É a gente que pretere o cem por cento
Ser humano da felicidade isento
Olha agora pro céu, sente esse vento
Contornando o cais da tua alma
E acariciando o sentimento
Você me acalma, és meu alento
E no momento de te ver, posso sentir na palma
Que é chegada a hora de aprender
Que a vida vem, a gente vai e ninguém cala
_____
Obrigado por ser meu exemplo de força, Fernanda Gugelmin.
Tudo isso vai passar e a vida não!

Read Full Post »

Não mais buscar compreender motivos

O que é passado assimilado está

Por nunca ter repreendido sentimentos

Eles passam por mim, como me passa o ar

Hoje eu entendo que não há o que encontrar

Minha incessante busca a ti trouxe de volta

Amor que permanece à toda prova

Paixão inabalável pelo espelho

De olhos marejados, já me observei

Busquei saídas e fechei entradas

Travei meu coração e desprezei por ti

Provei ao mundo que ele te daria

Não desisti de amar à revelia

Mas avistei bem mais do que haveria

Soprei ao vento que trouxesse a diferença

Não fosse tão pequena, caberia

E eu não lamento, era o momento

Enquanto foi presente, era importante

Mas nunca foi bastante pra esse amante inquieto

Errante por querer convicção

Errado por pensar que estava certo

Eu encontrei razão pra ser melhor

Longe de ser perfeito, mas perto de mim

Eu encontrei no fim, um recomeço

E te agradeço por ter sido assim

Read Full Post »

Amar a Mais

Chega de ser descartável

De dar e receber amor barato, emprestado, alugado

Chega a ser insuportável

Interpretar em vida o que não sou

Eu faço força pra servir à carapuça que me deram

Já tive permissão pra agir errado e agora chega

Quero cuidar e ser cuidado

Transbordar de amor pra não secar

Chega de tanto pedaço, descompasso, assim eu despedaço

Eu quero agora seguir um traço sóbrio

Não vou cambalear mais pelos lados

Me embebedar com goles de azar

Quero da sorte estar ao lado

É bem mais forte essa vontade de amar a mais

Read Full Post »

De tanto que é bela, parece o tempo entregador

De recompensas aos homens que procuram na vida

Alguém pra não chamar em despedida

Dizendo “volte para ser o que sempre sonhei”

Você chegou e eu logo descobri a essência

Correspondência do que és com meu jeito de ser

No dia em que abriste os olhos da primeira vez

Também sorria eu pela pessoa amada

São tantos os motivos pra te conhecer

A vida torta assim parece exata

São tantas as virtudes pra reconhecer

Acaso é só refém da predestinação

Você por perto e então tudo se encaixa

Vou estender uma faixa atrás de um avião

Rasgando o céu do Japão a Nova Iorque

Contando a boa nova recebida

Voltou o meu sorriso a ter um par

Iluminado ao sol da sua vinda

Read Full Post »

O Som Da Alma

O som que sai da minha alma tá pedindo passagem

É mais que sopro e vibração, é imagem

Feito uma reza, ressoa e me faz transcender

Ecoa em cada canto desse espaço

Foge de mim a escolha de nascer

É como um soco do ego no pensar

Padece então a razão submissa

Brota a canção que já não calará

Uma vez mais estou me delatando em rimas

Complexando a vida pra depois curar

Eu sempre desejei caber em linhas

Na condição da vida sobrar

Eu quero margem pro erro e pra glória

Ser mensageiro da queda e da vitória

Realizar o pesadelo enquanto acorde

Aproximar meu sonho da sorte e tocar

Read Full Post »

Arrisca

Não gosto dessa vasta falta de atitude

Sou fã da plenitude pormenorizada

Cada pedaço que ensaia a completude

Merece brinde na maior das festas

A gente tenta só pra ver se funde

E então se não couber entra na próxima fresta

Continuai a cada desencontro

É só um ponto a mais ou menos na partida

Da antiga dúvida o aprendizado resta

Read Full Post »

Mais (Thiago Mart)

Se eu não tivesse te encontrado no deserto

Estaria errado sobre o motivo certo

De ter tocado as tuas mãos agora

… 

Não é igual outrora, tudo em nós mudou

Devias ver a cor que dos meus olhos brota

Quando me completa a imensidão

… 

Infinito ardor que me atravessa

Faz saber que nossa vida muda se não ensurdece

Sobe e desce, cansa e depois cresce

Mas não tarda a destruir o que é de praxe

… 

Eu desisti de ser perfeito, não me cabe

Estou repleto de imperfeitas metades de mim

E assim, você surgiu como um pretexto pro charme

Subiu e se tornou minha palavra sim

… 

Distante do fim, tão perto do enlace

Se eu não tivesse te encontrado no deserto

Talvez o que é futuro minasse

Esse presente incerto jurado em teu nome

Read Full Post »

Older Posts »